Crítica: Procurando Dory


Eu sempre quis conhecer a história de Dory e saber como ela chegou onde chegou, mesmo com seu problema de perda de memória recente! Esperava algo divertido, com cenas emocionantes e um enredo simples para as crianças! Não tenho como negar que a nova animação da Disney/Pixar atendeu as minhas expectativas e sai do cinema satisfeita com o que eu vi.

No filme, Dory, Nemo e Marlin, vão em busca de respostas sobre o passado da peixinha esquecida. Em meio a muita aventura, ela encontra personagens inusitados, como o rabugento polvo Hank e reencontra outros, como a sua amiga baleia Destiny.


Li algumas opiniões na internet que me fizeram duvidar da qualidade do filme. Mas incrivelmente,todas as críticas de pessoas que não tinham gostado muito do filme tinham sempre uma mesma coisa em comum: a comparação com “Procurando Nemo”. Não dá pra dizer que Procurando Dory é tão bom quanto a animação de Nemo. Mas sejamos sinceros, ser melhor que Procurando Nemo é uma tarefa bem árdua. Então, que tal se excluirmos esse parâmetro de comparação e analisarmos o filme isoladamente?


Esse longa tem tudo o que você pode esperar da Disney/Pixar e até um pouco mais. Tem muitas cenas engraçadas com tiradas pouco óbvias, tem cenas tristes que tocam o coração (mesmo você sabendo que aquilo é apenas um desenho), tem personagens caricatos e outros prá lá de inusitados e cara, tem toda uma moral social por trás da trama.
Reparem que todos os personagens principais tem alguma particularidade. A Dory sofre de problemas de memória, o Polvo Hank tem um braço a menos, a Baleia Destiny tem problemas de visão, o sonar de Bailey não funciona direito e a Beca…. Bem, nem dá pra descrever a hilária Beca! Até Merlin é mal-humorado e pessimista crônico! E o que falar de Nemo? Ele tem uma nadadeira menor que o normal, uma deficiência que foi bastante explorada no primeiro filme e nesse, ele da uma aula de superação e mostra que é possível levar uma vida normal mesmo sendo diferente dos outros. Aliás, essa é a grande sacada do filme: mostrar que não importa se você é diferente ou se tem algum “problema”. Você sempre vai ter uma família ou amigos pra te apoiar, te ajudar e amar você do jeito que você é e que isso é o mais importante de tudo!


O roteiro pode até ser um pouco previsível e alguns momentos do longa serem extremamente exagerados, mas gente… É uma animação infantil. Vi varias crianças super felizes após terem assistido o filme. E pode ter certeza de que isso significa que em algum ponto, a Disney acertou bonito! Levem as crianças ou seja a criança e curta essa divertida lição de aceitação, autoconhecimento e inclusão!


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Fala, Mich! - 2018 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: MS Webdesign
imagem-logo